sábado, 31 de janeiro de 2009



Por anos e anos eu lhe procurei. Atravessei desertos nunca antes descobertos, subindo as mais altas das montanhas, sentindo frio e calor, lamentos e dor, mas não desisti. Nem mesmo a mais grave das doenças pôde me conter, a força dos ventos, poeira em meus pensamentos, até a tristeza não pôde me deter. Tive tentações, alucinações, descrença, olhava para o céu, mas ninguém respondia meu apelo e mais uma vez não desisti, não perdi a minha fé. E enquanto as estrelas uma a uma estavam se apagando, eu via a multidão chorando, um homem sangrando, um poderoso aclamando, um povo se desesperando, num dia fatal. Ao ver teu rosto sem lamentos, eu tive num momento um pressentimento... O encontro que tanto esperei. Então perguntei: Por onde andastes? Procurei-lhe por minha vida inteira e quando estava quase lhe encontrando, partias pra outros campos em busca de seus discípulos, aproximando os homens de Deus. Sofri de doenças. Agora velho e sem saúde, não tenho forças pra lhe ajudar, não tenho como carregar a tua cruz... “Ele” respondeu: Meu filho... Sei que me seguiu a vida inteira. Eu estive sempre bem perto de você... Enfrentamos juntos todas as tempestades, todas as doenças e o que te fez sobreviver foi a sua crença, suas orações e a sua fé... Sei também que se encontra fraco e desvalido, mas o que importa é que você está aqui e que nunca perdeu a esperança. Não se desespere pelo sangue que tu vê em meu corpo, nem pelas feridas, a coroa de espinhos, o sofrimento... Logo, finalmente, vamos nos encontrar. E para aqueles que não acreditaram em mim, que não acreditaram no Pai... Perdoai-os, assim como eu, pois eles não sabem o que fazem.

QUEM ACREDITA EM DEUS, JAMAIS DESISTE.

Autor:
ANTONIO AUGGUSTO JOÃO

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009


Não vou te escrever uma carta de amor. Não vou dizer que te amo ou que te quero, nem vou dizer que povoas os meus sonhos. Não vou escrever que és o meu primeiro pensamento quando acordo nem é nos teus braços que adormeço. Não vou escrever as vezes que te espero em silêncio, nem o sorriso que me provocas com as tuas palavras tontas, tão perdidas quanto as minhas.E aquele brilho no meu olhar quando vejo seu nome no visor? Não, também não vou escrever sobre isso. Que pensar em voce me alimenta a alma o dia inteiro? Não, não vou escrever uma carta de amor. Não seria capaz de transformar em palavras o que sinto por você.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

É p vc q escrevo...

Um homem bastante idoso procurou uma clínica para fazer um curativo em sua mão ferida, dizendo-se muito apressado porque tinha um compromisso que não podia adiar. Enquanto um jovem médico o tratava, quis saber o motivo de sua pressa e o velhinho disse que tinha de ir ao asilo tomar café da manhã com sua esposa, que estava internada nesse asilo havia bastante tempo. Sua esposa sofria do Mal de Alzheimer em estado bastante avançado. Enquanto terminava o curativo o médico perguntou-lhe se ela não ficaria assustada pelo fato dele estar atrasado. - Não. Ela não sabe quem eu sou. Há quase três anos ela não me reconhece. Intrigado, o médico perguntou novamente: - Mas se ela nem sabe quem o senhor é, porque essa necessidade de estar com ela todas as manhãs? O velhinho sorriu, deu uma palmadinha na mão do médico e disse: - É verdade. Ela não sabe quem eu sou, mas eu sei muito bem quem ela é. Enquanto o velhinho saia apressado, o jovem médico sorria emocionado e pensava: Essa é a qualidade de amor que eu gostaria pra minha vida. O amor não se reduz ao físico, ao romântico... O AMOR VERDADEIRO é a aceitação, de tudo que o outro é, de tudo que foi... Do que será, do que já não é.
desconheco o autor

domingo, 25 de janeiro de 2009

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Um pecador como Davi, Pedro ou eu

Você já sentiu desapontado consigo mesmo por haver praticado algo ou se comportado de modo reprovável? Eu já. E devo admitir que não gostei da experiência. Pensando na vida dos personagens da Bíblia como Davi, Pedro e Judas, quanto a esse assunto. Davi foi chamado o "homem segundo o coração de Deus" (At.13:22). Ele deve ter se sentido miseravelmente sujo, antes de escrever o Salmo 51. Assim que o Espírito de Deus o convenceu de seu estado, deve ter provado à mesma sensação de desamparo e desproteção de Adão, quando a cobertura da glória de Deus se foi deixando-o a mercê dos efeitos devastadores do sentimento de culpa. Em estado tão deplorável, não podia dar-se ao luxo de reagir às eventuais críticas de seus "irmãos”. Pedro também teve uma história semelhante, no momento em que os olhos amorosos de Jesus o atravessaram como duas flechas, logo depois que ele o negou. "Quando o cantar do galo lhe lembrou as palavras de Cristo, surpreso e atônito pelo que acabara de fazer: Voltou-se e olhou seu mestre. Simultaneamente, Cristo olhou a Pedro e sob aquele olhar aflito em que se misturavam amor e compaixão por ele, Pedro conheceu-se. Saiu e chorou amargamente. Aquele olhar de Cristo lhe partiu o coração. Pedro chegara ao ponto decisivo e amargamente se arrependeu de seu pecado”. Se Davi e Pedro estivessem entre nós, talvez não conseguissem re-erguer-se. Temos tamanho senso de justiça que ficamos chocados ao saber do pecado de homens honrados. E então, quem sabe até com satisfação, começamos a exigir justiça e condenação do pecado na vida dos outros, se nos apercebermos de que somos tão pecadores e dependentes da graça divina quanto eles. Quando deparamos com pecados cuja gravidade nos leva a deplorar, não devemos ficar chocados. Jesus não ficou chocado diante da mulher pecadora, de Pedro, nem de Judas. "Ele não precisava de que alguém lhe desse testemunho a respeito do homem, porque ele mesmo sabia o que era a natureza humana” (Jo 2:25). Judas comportava como alguém acima de qualquer reprovação. O contraste entre a vida de Judas e a de Davi e Pedro, nós ensina algumas lições.
Um pecador como Davi, Pedro ou eu, que tenha sentido as misérias do pecado, jamais olhará para outro pecador com um olhar de menosprezo. De tanta compaixão, ele morrerá um pouquinho e sentirá um enorme desejo de ajudar aquele que errou a erguer-se. Um pecador como Davi Pedro ou eu, que tenha provado apenas um gole da taça do conhecimento da natureza humana, jamais lançará o peso adicional da censura sobre os ombros de quem já verga sob sentimentos de culpa e inadequação. Um pecador como Davi, Pedro ou eu, que tenha tido apenas um vislumbre do contraste entre a glória de Cristo e o seu próprio coração, não se afastará chocado diante dos estragos na vida de um irmão, nem lhe aumentará o sentimento de abandono ao pôr em dúvida à legitimidade de seu arrependimento.
Um ano novinho está em nossa frente. Que o Senhor nos conceda “bons olhos” para nossos irmãos de caminhada e nos dê a graça de participar, na Sua vinda, do grande grupo de pecadores redimidos que se unirão a Davi, a Pedro e a galeria da fé descrita em Hebreus 11.

(Perez, J.C, p.38)

domingo, 4 de janeiro de 2009



Estou aqui e amo vc. Não me importo se você tiver que passar a noite inteira em claro, eu fico com você. Se você precisar de remédios de novo, não tem problema, tome! eu vou amar você do mesmo jeito se fizer isso. Se você não precisar dos remédios, vou amar você do mesmo jeito, não há nada que você possa fazer para perder meu amor. Vou proteger você até você morrer, e depois de sua morte vou continuar protegendo você, sou mais forte do que a Depressão e mais corajosa que a Solidão, e nada nunca vai me desanimar.
Estendo a mão para mim mesma quando não há mais ninguem por perto para me oferece consolo.
Eat,Pray,Love